< Voltar para o jornal do dia

Edição de 16 de março de 1999. Criação e Edição: jornalista Marilena Braga




Em Curitiba ou no exterior músicos do Paraná lutam por reconhecimento.


Talento, musicalidade e dedicação. Atributos que levam anos para se converterem em sucesso. Instrumentistas, cantores e compositores encobertos pelo anonimato realizam uma vasta produção musical em seus nichos de atuação. Ex - regente da Orquestra Sinfônica do Paraná, o maestro Oswaldo Colarusso lamenta que o Teatro Guaíra tenha se transformado em um espaço de aluguel , deixando de patrocinar uma temporada oficial de consertos. Mais esperançoso, o vice-diretor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, João Jacob Neto, acha que os músicos locais têm mais locais culturais para exibirem seus talentos: "Nossa sociedade seria mais harmoniosa se houvesse mais espaço para a arte", idealiza.




Maestro Oswaldo Colarusso
regeu a Osquestra Sinfônica
do Paraná por 13 anos.



Dia 14 de março foi o Dia Nacional da Poesia. Um verso curto, que fala de um sentimento universal : "Saudade é um parafuso/ que dentro da rosca cai/só entra se for torcendo/ porque batendo não vai,/ e quando enferruja dentro,/nem destorcendo não sai." Candéia, seringueiro do Acre.




Escola para jovens e adultos nos assentamentos rurais.

Um convênio que utiliza o trabalho de três entidades de ensino, a Universidade Federal do Paraná, a Universidade Estadual de Ponta Grossa e a Fundação Faculdade de Ciências Humanas de Francisco Beltrão, é responsável pela alfabetização de 800 trabalhadores rurais em assentamentos de sem-terras de nove municípios do Paraná. Só o gesto de ocupar a terra não basta.




Álvaro e Rafael dividem a noite.

Dois dos declarados pretendentes ao Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, estiveram na noite de 12 de março movimentando seus seguidores. O senador Álvaro Dias, do PSDB, reassumiu a presidência do partido no Paraná, da qual se afastara há dois anos. Em um hotel no centro de Curitiba, com a presença de deputados e a linha de frente dos tucanos, retoma o comando do partido do Presidente da República no Paraná. Bem longe dalí, num restaurante em Santa Felicidade, o ministro do Turismo e Esporte, Rafael Greca (PFL), era homenageado com um jantar onde o cordão dos aduladores não tinha limites. O cenário dos dois é Brasilia. O palco dos votos, o Paraná. A falência dos estados não tira o apetite da futura disputa.



Futuro de Cassio depende de Lerner.

O governo Jaime Lerner não pode errar a mão na economia do estado. A segunda administração do governador do Paraná tem a responsabilidade de fazer seu sucessor. Se o saldo financeiro ao final de seu mandato for negativo, ou inexpressivo, terá de aceitar o candidato alheio.