Marketing pessoal: o produto é você
Marilena Braga

Ao contrário do que se pensa, marketing pessoal não está ao alcance de todos . É destinado a pessoas especiais, com sensibilidade para reconhecer seus limites e seus talentos. E aplicá-los com eficácia e seriedade. Marketing pessoal é trabalho, muito trabalho. Vender a própria imagem. Isso, sem enfeites e sem delongas, é marketing pessoal. Quantas vezes encontramos pessoas que se destacam das outras, sustentam seus pontos de vista , acolhem a opinião alheia sem reservas ou rancores, num compromisso total com a vida e suas consequências. Se acompanharmos seus atos e as causas em que se envolvem, vamos encontrar uma força difícil de atingir: o conhecimento. E uma expressão própria de quem decide: a atitude.

São esses os ingredientes de uma personalidade que se destaca: trabalho, conhecimento e atitude. A presença de um profissional de marketing e comunicação que ofereça uma orientação correta, um texto limpo , um acompanhamento até o pleno conhecimento do potencial de quem deseja desenvolver seu marketing pessoal , é necessária e dá segurança. Vemos muitas pessoas tentando ser não os melhores, mas bons em suas áreas de atuação. Desanimam ao primeiro sinal de que outros já estão onde queriam chegar. Desistem? Se estiverem bem orientados em marketing pessoal certamente não.

Primeiro porque os que já chegaram lá não são menos capazes. Souberam aproveitar ou criar as oportunidades.Usaram os três ingredientes básicos de afirmação pessoal. E o talento, onde se ajusta? Talento sem auto-estima é uma faca apontada para o peito. O talento questiona , aguça a crítica pessoal, retarda as atitudes. O talento desperta a consciência, a presença do outro, a solidariedade, o envolvimento social. O talento não assumido é um inimigo do marketing pessoal. Mas o talento que não teme as consequências de sua manifestação é uma marca definitiva e inconfundível. É só revirar a História, passada e contemporânea, e localizar os que a fizeram. Eles ousaram ir além da rotina e da obrigação.

E quem está preso ao cotidiano , com um olhar nas estrelas e outro no horizonte? A esses cabe a tarefa de impulsionar a humanidade. Têm de fazê-lo desenvolvendo o conhecimento - uma conquista do tempo - o trabalho , uma escolha definida que se completa com a informação atualizada e o interesse renovado, e a atitude , selo pessoal de ação e responsabilidade. As habilidades vêm à tona. Muitas vezes precisamos mandar a imagem na nossa frente. Estudo, pesquisa, atenção, perspicácia e agilidade em reconhecer oportunidades são frutos pessoais. O marketing desses conhecimentos - propagar ao meio que nos cerca qualidades e conquistas - faz a diferença. Um trabalho agregado ao próprio trabalho, para ancorar uma presença permanente .