< Voltar para o jornal do dia
< capa da edição de 20 de fevereiro de 1999




Desenvolvimento pessoal, marca da responsabilidade.
Reportagem e texto: Jomar Cunha
Fotos: Miguel David de Lima

Com sede num prédio amplo e destinado ao desenvolvimento , na Avenida Comendador Franco, em Curitiba , o ISAE, Instituto Superior de Administração e Economia do Mercosul, conseguiu estender os braços da Fundação Getúlio Vargas até o Paraná, graças ao esforço de ex-alunos. A preocupação de Norman de Paula Arruda Filho, superintendente do ISAE e principal responsável pela criação do núcleo da FGV no estado, é fazer do centro de estudos um dínamo capaz de gerar inteligências empresariais . "Nós nos consideramos agentes de transformação da sociedade", anuncia.

Dentro do programa básico da FGV , o ISAE desenvolve vários cursos de pós-graduação. Mas dá seu toque de personalidade própria quando acrescenta a esses cursos uma ênfase muito mais voltada à questão de negócios do que propriamente uma visão acadêmica. "É que nosso público está formado em grande parte por empresários. Nessa fase de transmutação da economia paranaense , mais do que nunca se torna necessário ter executivos preparados para que tornem suas empresas cada vez mais competitivas", destaca Norman.

Utilizando-se de três eixos básicos, o ISAE atua nas áreas de Formação, Informação e Pesquisa e Consultoria e Assistência Técnica. "Procuramos desenvolver uma forma inteligente de trabalhar", acrescenta Norman , evidenciando que o Instituto não tem como objetivo básico vender cursos, consultoria, pesquisas. "Nosso processo está centrado no sentido da gestão do conhecimento, que é a nossa matéria-prima, o nosso negócio. E dentro dessa filosofia poder agregar valor às pessoas e às organizações que elas representam".

Trabalho permanente e contínuo.

O ISAE é o resultado do convênio da Prefeitura Municipal de Curitiba com a Fundação Getúlio Vargas (www.fgvpr.br) Graças ao convite do presidente do Sistema Fiep ( Federação das Indústrias do Estado do Paraná) ,que congrega hoje mais de vinte mil empresas, o ISAE atualmente faz parte do Centro Integrado dos Empresários e Trabalhadores das Indústrias do Paraná , um privilegiado espaço que abriga vários organismos. "Acredito que isso é um reconhecimento do meio empresarial , de ter aqui, na sede da FIEP, uma instituição voltada à formação e desenvolvimento de executivos. Uma vez que do outro lado do mesmo sistema , na mesma casa, temos instituições voltadas ao desenvolvimento, ao treinamento, à capacitação do trabalhador", explica Norman, com indisfarçado orgulho. Acrescenta que a integração do ISAE com o SENAI- Serviço Nacional de Aprendizado Industrial - atua em caráter de complementariedade dentro da visão da FIEP , segundo a qual não basta ter um programa de capacitação do trabalhador sem a contrapartida de um treinamento do executivo. Daí a ligação Senai com FGV.

Em busca de apoios.

O método de trabalho e a proposta do ISAE, conforme declara Norman de Paula Arruda Filho, está, mais do que nunca, na ordem do dia das empresas e das pessoas. "Atualmente, em qualquer ramo de atividade, se não houver um processo permanente e contínuo, no sentido de buscar ampliar os conhecimentos, buscar que as pessoas possam se tornar mais bem preparadas para enfrentar crises, para disputar novos mercados, para rever seus processos produtivos, para desenvolver novas tecnologias, essas pessoas e suas instituições estarão fadadas a desaparecer", adverte, reforçando: "Por isso nosso objetivo é um plano de desenvolvimento pessoal para que o executivo possa se antecipar às tendências do mercado, antecipando o futuro".

Sem receber nenhum apoio financeiro, o ISAE tem como sistema administrativo a auto-gestão, buscando sustentação financeira. Todos os projetos que realiza são desenvolvidos em regime compartilhado com outras instituições. "Nós não entendemos que hoje, no mundo moderno, numa visão moderna, haja condições de reunir todas as facilidades numa única instituição para o desenvolvimento de suas atividades. Estão aí as fusões dando exemplo de alianças estratégicas inteligentes", enfatiza Norman.

Enfrentando os desafios.

Cita também como ponto importante a identificação de áreas estratégicas de atuação. "Nesse cenário de transformação existem setores que se tornam estrategicamente importantes". E narra que no ano passado houve a percepção de que não existia uma tradição no estado do Paraná para lidar com a questão do setor automotivo. Para isso o ISAE se antecipou ao processo e criou o Núcleo de Competência do Setor Automotivo, procurando desenvolver um programa onde já houvesse a possibilidade de ter um curso de alto nível para executivos que fossem trabalhar com o setor automotivo ­ friza bem- e não no ­ volta a sublinhar ­ setor automotivo .

Tudo indicava que os executivos do setor certamente viriam, " num primeiro momento, embaixo do braço dessas grandes montadoras que iriam se instalar aqui. Mas era muito importante que o estado não virasse barriga de aluguel dessas grandes indústrias, e sim que pudéssemos ter executivos formados conhecendo o que é a indústria automobilística, conhecendo o setor automotivo". Apontou Norman que não existe nenhum profissional que conheça o setor automotivo. "Pode conhecer automóvel, mas não setor automotivo".

Agregar mais informações.

Outra área que destacou e que o ISAE está estruturando para atender é a área Logística. "Uma das formas para você racionalizar os custos é ter um domínio de conhecimento sobre os processos de Logística , que hoje passa a entrar na ordem do sistema produtivo mundial e nós não temos nenhuma tradição nessa área", explica Norman.

Ele deixa claro o motivo pelo qual "é um grande negócio contratar o ISAE". Revela que como o negócio do ISAE é a gestão do conhecimento, "eu tenho que identificar onde estão as grandes competências . Possuímos uma cartografia básica de talentos e é com eles que criamos e desenvolvemos nossos estudos, projetos e cursos".

 Jomar Cunha é jornalista e publicitário.

Miguel David de Lima é fotógrafo profissional.


"Nosso objetivo: plano de
desenvolvimento pessoal".
















"Aqui dentro a questão
é talento".
















"Antecipar as
tendências do mercado,
antecipando o futuro".
















"Contratar o ISAE é
um grande negócio".