< Voltar para o jornal do dia

Edição de 20 de março de 1999. Criação e Edição: jornalista Marilena Braga




O porta-voz da incapacidade.

A semana foi ocupada com a polêmica entre o poder Legislativo, encabeçado pelo senador Antonio Carlos Magalhães, e o poder Judiciário, ameaçado de ir parar no banco dos reús. Transformou-se, por essa incapacidade que tem o Legislativo de aprofundar assuntos sérios, uma necessidade imperiosa - a reforma do Judiciário, há anos pleiteada pelo próprio poder togado - em conversa de botequim. Um vatapá apimentado para desviar o paladar dos brasileiros do cerco da economia, da falência monetária e da volta da inflação. Maioria - por enquanto - o governo, representado por Magalhães , zomba da seriedade de suas instituições.





Neste domingo o Oscar da Academia de Artes de Hollywood interessa de perto ao Brasil, que tem um filme "Central do Brasil"e uma atriz, Fernanda Montenegro, concorrendo em duas categorias para tentar ganhar a estatueta. Na edição de 22 de dezembro de Fortuna e Virtude o comentário "Entretenimento e arte, até que enfim", faz uma despretenciosa referência ao filme que se tornou símbolo da fragilidade brasileira. É a catarse.Ao conferir a opinião do advogado e compositor Roberto Zacharias é possível entrar na Home Page de "Central do Brasil". À época, o filme não havia feito ainda a escalada de sucesso que culmina neste dia 21.