Você sempre encontrará disponível em cada área, 5 matérias publicadas. Caso queira consultar as matérias publicadas anteriormente - referentes aos meses de dezembro de 98, janeiro, fevereiro, março, abril e maio, clique aqui.

A Humanidade em seu rumo eterno.
Os balcãs, a guerra do Kosovo, a disputa de sete séculos em países cravados no coração da Europa, foram assuntos a despertar perguntas insondáveis na população mundial. Com uma prosa cheia de elementos poéticos, Ismail Kadaré, de dentro da alma de seu povo, fala de conflitos e diz que todas as guerras são, na verdade, apenas uma guerra, sem um armistício definitivo. Quem o desvenda e o analisa é o jornalista Paulo Polzonoff Jr.
18 de dezembro de 1999

A linguagem que ignora a perfeição
Os negócios no Brasil têm sido predatórios no uso da lingua pátria . Mensagens publicitárias sacrificam o bom português na maior falta de cerimônia. A televisão, a música, as conversas entre os chamados executivos ( na verdade há apenas executores e executados) , deixam cada vez mais distante o que se entendia por uma linguagem clara e objetiva. As expressões hoje são impessoais, assépticas, sem calor e intimidade. Um reflexo do frágil equilíbrio entre o conhecimento e o lucro.

4 de agosto de 1999

Que decepcionante é a liberdade !
A diferença entre "O Chão que Ela Pisa" e "O Último Suspiro do Mouro", pequena obra-prima, segundo Paulo Polzonoff Jr. Ele analisa a mais recente obra de Salman Rushdie , o escritor que tem a cabeça a prêmio desde que publicou "Os Versos Satânicos", no Irã dos aiatolás.
19 de junho de 1999

Símbolo de todos
Meu amigo Serginho Maluf, músico por vocação, publicitário por sobrevivência , me apresentou a duas palavras e uma conjunção que nunca mais esqueci.
12 de junho de 1999

Quem tem medo de Fausto Wolff?
O escritor Fausto Wolff lança O Nome de Deus e escreve o próprio nome entre os melhores do Brasil. Leia o que Paulo Polzonoff Jr. comenta sobre o escritor que a grande imprensa tem ignorado, até agora.
22 de maio de 1999

O boicote a Woody Allen.
Os dois últimos filmes do diretor não foram exibidos no Brasil. E, pelo visto, nem serão. Paulo Polzonoff Jr. está indignado e lamenta a ausência do controvertido roteirista.
20 de maio de 1999