Você sempre encontrará disponível em cada área, 5 matérias publicadas. Caso queira consultar as matérias publicadas anteriormente - referentes aos meses de dezembro de 98, janeiro, fevereiro, março, abril e maio, clique aqui.

Os deuses se mudaram . Mesmos atores, ato dois
Leia os problemas que o governo do Paraná deixou se acumularem na questão agrária, desde a primeira gestão do governador Jaime Lerner. A escassez de atos sérios e consequentes transformou o Centro Cívico de Curitiba em símbolo de conflitos.
14 de julho de 1999

Os pequenos vão decidir o futuro prefeito de Curitiba?
Não está fácil para Cassio Taniguchi, prefeito de Curitiba, conseguir a reeleição. Ele ficará nas mãos do PSDB, e do político mais hábil do Paraná, o senador Álvaro Dias, para ter uma garantia de saída para a vitória. Enquanto isso, os pequenos partidos - que esperam crescer após a reforma eleitoral - tratam de lançar candidatos próprios, numa tentativa de levar as eleições de 2000, na capital, para um segundo turno.
28 de junho de 1999

Governo do estado, o falido que todos querem 
Até o momento cinco nomes já se alinham para disputar o governo do Paraná, na sucessão de Jaime Lerner - um grupo que começa a ter a perigo a hegemonia política - esperando melhorar ou clarear as chances para a vitória nas eleições de 2002. Dois senadores, um ministro, a vice-governadora e o prefeito de Curitiba, que ainda tem de passar pela sabatina da reeleição. É negócio para ser tratado desde agora.
28 de junho de 1999

Internet, vigorosa subversiva.
Os sites dos três poderes constituídos brasileiros estão desprotegidos. Os piratas da internet avançaram através deles. Atenta, segmentada, propulsora de reformas, a internet é uma subversiva desde que foi apresentada ao mundo. Aberta e ainda secreta, a linguagem eletrônica vai, aos poucos, imprimindo uma nova postura em todos os setores. Na política, a internet pode, e só ela pode, acabar com as deformações.
19 de junho de 1999

Quando brigam as comadres...
Ministro que não der conta do recado político não fica no governo, disse o presidente da República, quando assumiu o segundo mandato e fez algumas mudanças no ministério.
12 de junho de 1999